07/07/2015

Lição 2 – O Evangelho da Graça

Escola Bíblica Dominical Ass. de Deus Ministério Despertando Vidas

3º trimestre de 2015 –
A igreja e o seu testemunho –
As ordenanças de Cristo nas cartas pastorais 


Orientação Pedagógica:

Relacionamento professor-aluno
     A comunicação é imprescindível para que ocorra a aprendizagem, seja ela escrita, oral ou por gestos, e, para que aconteça de maneira eficaz, faz-se necessário um bom relacionamento entre o professor e o aluno, ou seja, não é só o professor que fala e nem só o aluno, mas deve ocorrer uma interação entre ambos.
         O professor é o mediador do conhecimento e precisa compreender que está ali não para despejar em seu aluno o conteúdo, mas para tirar suas dúvidas, fazendo-o pensar e, às vezes, extrair do discente o que já sabe. Ademais, deve-se manter também, sempre que possível contato com seus alunos.

I)                    Introdução

         
O Evangelho da Graça é um tema de fundamental importância. As boas novas da graça é imprescindível para entendermos o que somos, de quem somos e para onde vamos.
          Desde a igreja primitiva até aos dias de hoje, sempre existiu maus obreiros que tentam deturpar o evangelho, ou trazer novidades que não estão na Bíblia, enfim, pessoas sem temor que buscam seus próprios benefícios.
           Por isso, Paulo alerta a Timóteo sobre os “lobos cruéis” para que a igreja de Éfeso estivesse alerta a isso. Enquanto Paulo passou por lá, sete anos antes de enviar Timóteo a esta igreja, ele alertou sobre isso (At 20.29.30).

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” ( Ef 2.8)

II)                  A Graça de Deus

            A palavra Graça, vem do latim gratus (agradável, amável). O vocábulo no grego é charis, e envolve alguns sentidos: favor, cuidadoso ou ajuda graciosa, boa vontade (At 11.2; Rm 3.24; Gl 1.15).
              A Graça é um favor divino que nós não merecíamos, não devemos confundir, pois apesar das nossas obras serem importantes são conseqüências da graçaque nos alcançou, as obras não nos salvam, contudo, alguns hoje ainda, insistem em dizer que somos salvos pelas obras, por nossos méritos.
          Champlin escreve que “Deus redime o homem de modo totalmente à parte de seus méritos pessoais, e não em cooperação com os mesmos, porquanto a salvação vem exclusivamente pela fé, independentemente de obras (Rm 3.24,28)

III)                Falsas doutrinas

          A falsa doutrina, no início, pode parecer sem perigo, mas ela é danosa a igreja de cristo. Ainda nos dias hodiernos, muitos pregadores e mestres cristãos, se é que podemos chamá-los assim, tem ministrado fábulas e histórias extra-bíblicas como se bíblicas fossem. Não estou falando de alguma lustração ou parábola, mas sim, lendas. A igreja de Éfeso estava sofrendo com alguns falsos ensinos, pois alguns falsos mestres ensinavam que para alcançar o favor de Deus e ser aceito por Ele era necessário que a pessoa adquirisse certos conhecimentos e adorasse os anjos. Eles estavam abandonando o verdadeiro Evangelho e se afastando da graça de Deus
           O que precisamos é voltar ao Verdadeiro Evangelho. O Evangelho bíblico cristocêntrico.

“Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.” (1 Coríntios 1:18)

          Paul Washer, no livro Verdadeiro Evangelho, diz que a nossa maior necessidade é redescobrir o evangelho de Jesus Cristo e proclamá-lo.

“Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho. O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.
Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.” (Gl.6-9)

IV)               Falsos Mestres

          Muitos, nos dias de hoje, ensinam a Palavra de Deus, seja em seminários, cultos de ensino e escolas dominicais, porém, será que todos os que estão ensinando foram chamados para isso? Ainda que esteja ensinando por um necessidade local, pois isso acontece, será que estão preocupando-se com a doutrina bíblica?

“Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade,
É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas,
Perversas contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais.” I Tm 6.3-5)
        Realmente os mestres e os pastores e líderes precisam estar preocupados com o alimento que está sendo oferecido para as ovelhas do Senhor.
          Paulo, nos mostra algumas características dos falsos mestres:

a) Mestres de mitos e histórias fantasiosas que se fundamentavam em genealogias obscuras (1 Tm 1.4; 4.7; Tt 1.4; 3.9).

b) Presunçosos (1 Tm 1.7; 6.4).

c) Argumentadores destituídos de sentido (1 Tm 1.4;6; Tt 3.9; 6.4).

d) Desejosos de ensinar a Lei, mesmo sem conhecer aquilo que pretendiam ensinar (1 Tm 1.7).

e) Pessoas que usavam as suas posições de liderança religiosa para obterem vantagens financeiras pessoais.


V)                 Combatendo o bom combate

          Paulo nos ensina a combater o bom combate ou a lutar em prol do genuíno evangelho de Cristo preservando, com o auxílio do Consolador as verdades bíblicas guardando as ovelhas do Senhor de lobos, pois ainda existem verdadeiros mestres, legítimos pastores, e, que estes, não se calem em meio às heresias que são disseminadas nos púlpitos da igreja do Senhor, e, para isso, precisamos agir como os cristãos de Beréia:
Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” At 17.11

VI)               Conclusão

          A igreja de Cristo não deve conforma-se com um evangelho superficial, contudo, carece de mergulhar aos ensinos pautados na Palavra de Deus para que possa  manter-se firme em meio ao pecaminoso mundo em que vivemos.
“Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.  (Ef 4.14)

Bibliografia
As ordenanças de Cristo nas Cartas Pastorais. Elienaldo Renovato de Lima. CPAD
Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD
Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. R.N. Champlin. Hagnos
Ensinador Cristão. Ano 16 - nº 63. CPAD
Graça. Max Lucado. Thomas Nelson Brasil
Introdução ao Novo testamento. D.A. Carson, Douglas J. Moo, Leon Morris. Vida Nova
Verdadeiro Evangelho. Paul Washer. Fiel

Pr. Manoel Flausino
Diretor de Ensino e Superintendente de Escola Dominica, escritor, formado em Teologia, Pedagogia e especialista em Psicopedagogia e Gestão de Pessoas.

Contatos para palestras, congressos, mensagens:

(21) 99439-0392 (claro)

Nenhum comentário:

Postar um comentário